Bacharelado em Engenharia Elétrica - UACSA

 
LOCAL DE OFERTA: Unidade Acadêmica do Cabo de Santo Agostinho.
VAGAS: 60 semestrais
TURNO: Integral
 
PERFIL DO EGRESSO
 
O curso de Engenharia Elétrica da UFRPE visa conferir ao egresso perfil coerente com o estabelecido no Art. 3º da Resolução CNE/CES nº 11, de 11 de março de 2002, que instituiu as “Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia”.
 
O Engenheiro Eletricista é um profissional de formação generalista, e está apto a desenvolver dispositivos eletrônicos capazes de auxiliar na solução de problemas nas mais diversas áreas, de forma adequada e eficiente. Poderá atuar no projeto, desenvolvimento, utilização e gerenciamento de sistemas elétricos, assim como sistemas de automação e controle de processos industriais e de telecomunicações.
 
O Curso de Engenharia Elétrica da UFRPE está estruturado com base no modelo de formação em dois ciclos, propõe que o aluno ingresse na instituição em um curso generalista/tecnológico e, ao concluí-lo, após três anos, faça opção por uma formação profissional/bacharelado com duração de dois anos, tendo como objeto a concepção, projeto, racionalização e análise de sistemas produtivos de bens e de serviços na área eletro-eletrônica.
 
A matriz curricular é composta, principalmente, por disciplinas que proporcionam um sólido embasamento em matemática, física e informática. Durante a graduação, o aluno tem a oportunidade de complementar a base teórica do curso com atividades práticas, como experimentação em laboratórios e elaboração de modelos. Visitas técnicas às empresas do setor minero-metalúrgico, também auxiliarão na formação do graduando. Podendo também participar de atividades extracurriculares como eventos de extensão, congressos, exposições, concursos, premiações, seminários internos ou externos à instituição.
 
Atualmente com o desenvolvimento do Polo de SUAPE, indústrias, refinaria, empresas prestadoras de serviços de projetos, montagem e manutenção industrial necessitam de profissionais com formação técnica para desenvolver as diversas atividades ali existentes e com a oferta de cursos de graduação tecnológico e bacharelado, a UFRPE busca atender aos anseios da comunidade local, regional, nacional e do MERCOSUL.
 
Neste ambiente abordamos os aspectos envolvidos na integralização curricular do Curso de Graduação em Engenharia Elétrica, apresentando toda a infraestrutura que possibilite maior dinamismo no curso: corpo docente, corpo técnico, laboratórios, e finalmente o projeto político pedagógico que está sendo proposto ao curso e transitando nos setores competentes.
 
 
CAMPO DE ATUAÇÃO
 
De acordo com a Res. nº 218 de 29 de junho de 1973, do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CONFAE), o Engenheiro Eletricista é habilitado para trabalhar em empresas de construção civil e em obras de infraestrutura de barragens, de transporte e de saneamento; em obras ambientais e hidráulicas; em serviço público e privado, em instituições de ensino e de pesquisa; em serviços autônomos.
Alguns engenheiros eletricistas se concentram em disponibilizar a energia elétrica e de utiliza-la da forma mais apropriada: estes são engenheiros de sistemas de potência, que tratam com grandes quantidades de elétrons e com campos elétricos e magnéticos muito intensos. Os equipamentos elétricos nesta área incluem os de geração e transmissão de energia, utilizada pelas ferramentas e motores elétricos, controle de maquinaria, iluminação e nas instalações elétricas de prédios, automóveis e aviões.
 
Outros Engenheiros Eletricistas se especializam em diminutos dispositivos eletrônicos, circuitos e sistemas, que são usados nas comunicações, nos computadores, nas áreas da saúde e nos sistemas de entretenimento, assim como em automatização e controle. Estes tratam com pequenas quantidades de elétrons e campos elétricos e magnéticos muito fracos. Os equipamentos eletrônicos incluem: radares, computadores, equipamentos de comunicação e bens de consumo tais como aparelhos de TV e sistemas de áudio.
 
Devido ao grande número de áreas e sub-áreas, e a grande quantidade de conhecimento especifico requerido para cada uma destas, a formação em engenharia elétrica é a mais abrangente das engenharias, abrangendo as áreas de Eletrônica,  Eletromecânica,  Mecatrônica,  Computadores - Hardware e Software,  Telecomunicações,  Automação e Controle de Processos, Eletrotécnica,  Sistemas de Energia,Energia Nuclear e  Eletromédica.
 
A infraestrutura da UACSA, com seus laboratórios, convênios com o governo do estado e as empresas do setor, além da integração com o programa de pós-graduação, permitirá um curso voltado para o desenvolvimento de novas tecnologias, preparando o profissional para uma carreira de liderança.
 
HABILIDADES E COMPETÊNCIAS
 
O MEC classifica as competências em: conhecimentos, habilidades e valores. O conhecimento pode ser entendido como simplesmente o saber adquirido pela pessoa. A habilidade refere-se ao saber-fazer, mas não são atributos relacionados apenas como esse saber-fazer, mas também aos saberes (conhecimento), ao saber-ser (atitudes), ao saber-agir (práticas do trabalho).
 
       Com vistas a atender às condições dinâmicas do perfil profissional estabelecido, o currículo do curso de Engenharia Elétrica da UFRPE deverá permitir que o aluno desenvolva, durante sua formação, as seguintes competências e habilidades para o pleno exercício de suas atividades profissionais de acordo com a Resolução Nº 11/2002 – MEC/CNS/CES:

  • Aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à Engenharia Elétrica;
  • Projetar, conduzir experimentos e interpretar resultados;
  • Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;
  • Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços em engenharia elétrica, considerando sua viabilidade econômica e seus impactos sociais e ambientais;
  • Identificar, formular e resolver problemas da área;
  • Comunicar-se eficientemente nas formas escritas, oral e gráfica;
  • Visão crítica de ordem de grandeza na solução e interpretação de resultados em engenharia;
  • Compreender e aplicar a ética e as responsabilidades profissionais;
  • Assumir a postura de permanente busca de atualização profissional;
  • Desenvolver habilidades, como as da administração, das relações humanas, econômicas, segurança do trabalho e do meio ambiente.
  • Identificar situações de risco no local de trabalho e medidas para minimizá-las

 
Assim, o Engenheiro Eletricista é habilitado para trabalhar em concessionárias de energia nos setores de geração, transmissão ou distribuição; em empresas de automação e controle, atendendo ao mercado industrial e aos sistemas de automação predial; em projetos, manutenção e instalações industriais, comerciais e prediais, atendendo às necessidades de implantação, funcionamento, manutenção e operação dos sistemas; na definição do potencial energético de bacias hidrográficas, no estabelecimento de uma maior eficiência de sistemas energéticos, conservação de energia, fontes alternativas e renováveis de energia; com simulação, análise e emulação de grandes sistemas por computador; na fabricação e na aplicação de máquinas e equipamentos elétricos.
Fonte: Projeto Pedagógico do Curso, Processo Administrativo nº 23082.019495/2013-14